Maratona do final de ano


Ando numa correria tão violenta que mal dá tempo de respirar. Ontem foi mais um dos dias non-stop com várias coisas pra fazer na rua. O mais horrível pra mim foi ter de entrar no shopping lotado pra pagar uma parcela da renner (na máquina é óbvio pq pra esse tipo de coisas eu abomino a interação humana, prefiro mesmo interação com as máquinas, levei apenas 2 min ao passo de que no caixa levaria sei lá quanto tempo) e ver aquele monte de gente se “estapeando” por coisas e olha que ainda faltam 3 semanas pras “festividades” argh argh. E o que são aquelas mulheres que arrastam marido e filhos pra fazer compras e as crianças ficam correndo e gritando e os maridos com aquelas caras de patetas esperando pra passar o cartão. Blé! Sinceramente, acho uma tortura fazer isso com as crianças que acabam perturbando os outros que não tem nada a ver com o fato. Deprimente. Aff. Ainda bem que fugimos de lá rapidinho.

A festa de aniver do Raul foi muito boa e apesar do estresse inicial na maldita fila (abri uma exceção pq era aniver do meu amigo e me prestei a ficar na fila, mas esse fato não se repetirá pois de agora em diante quando for lá irei mais tarde). Dancei horrores, o set dele estava recheado de clássicos da emusic- tipo crystal waters, deelite, etc – e só não fiquei além das 5h – quando fui embora e tava rolando altos acid-houses pq eu tinha mais compromissos para o dia de hoje.

A manhã começou em clima de “Amélia”..rs e depois seguiu com um almoço “social” (diríamos assim) que estava muito ruim, tirando, como sempre, uma parte das companhias – a parte maldita..rs. Aliás, vou reclamar aqui que o restaurante Estrela da Terra (no centro histórico perto do lago da ordem) está muito ruim. Não era assim antes, ou pelo menos não me lembrava de ser assim. Pouca variedade e o preço não está sendo uma boa relação custo-benefício. Sem falar que tiraram a possibilidade de buffet a quilo, agora ficou só livre – o que foi péssimo pra mim que não comi quase nada. Já comecei meu boicote, não vou mais lá. Ainda mais pra mim que não gosto de barreado (comida típica do Paraná), btw não sou lá muito chegada em comidas típicas/regionais ponto. À exceção do churrasco. Carreteiro de charque eu passo batido, por ex.


E, eu que pensei estar livre da muvuca das compras de Natal me vi no meio do bafão da rua Teffé – tradicional ponto de compras de pontas de estoque e outras liquidações de sapato aqui em CWB – por culpa das amigas é claro. Resisti bravamente às tentações consumistas e só comprei 2 itens extremamente necessários e baratos, um brinquinho de pedrinhas amarelas por R$ 8,00. E no momento Carrie Bradshaw (mas tirando o fato de que o sapato não é um manolo blahnik hahaha) cavoquei uma sandália dourada* super bonitinha e aparentemente confortável pela pechincha de R$ 33,00.

Agora vou ali dar uma descansada pq não dormi o suficiente, ainda tenho que fazer três coisas sendo as duas últimas as mais importantes a) terminar de tesourar um artigo b) ver o show do police no Rio pelo Multishow c) ir pro JPL Café pra mais uma night de music and dance.

* Fazia tempão (anos) que eu não comprava nada com nenhum tom dourado, em algum momento a drika dourada tinha que voltar à superfície…rs

ps: mas esse blog tá muito diarinho…rs

np:
sneaker pimps – spin spin sugar
(pra se manter no climão clássicos das pistas)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s