O que você estava fazendo em? Ano 2

Como promessa é dívida, resolvi resgatar o meme túnel do tempo, para marcar a passagem de mais um ano de vida… quem quiser fazer o meme, sinta-se à vontade

…1979 (há 30 anos)

Lembro de pouquíssimos detalhes sobre 79 (tinha 4 anos), apenas o fato de que minha família fez uma visita a Pelotas e Rio Grande no verão, registrada por fotografias. Dessa viagem lembro de um momento com alto indíce de “trevosice” que jamais saiu da minha memória. Fomos a uma espécie de mansão/fazenda (a cozinha era toda branca) no qual uma família inteira havia morrido de alguma doença nos anos 50/60 e estavam enterrados em uma espécie de cemitério familiar. Além disso, todo o quarto das crianças havia sido preservado como na época. Tenho as imagens na minha mente até hoje. Em agosto de 79, o hit do mês era Bad Girls com Donna Summer.

…1984 (há 25 anos)
Estava na 3a série, a febre do Menudo começava a despontar no Brasil e ganhei uma melissinha azul cheia de glitter. Meus irmãos mais novos tocavam músicas do Sabbath e do Ozzy o dia todo e eu adorava olhar as capas dos vinis. Por conta das atuações musicais e teatrais dos meus irmãos, a casa dos meus pais vivia cheia de gente, com muitas festas cheia de atores e músicos. Adorava aquele mundo. No colégio, eu falava e falava por horas sobre tudo isso e atrapalhava a concentração dos colegas, tendo que mudar de lugar várias vezes hehe. E a música que eu não parava de cantar era:

“Esse é um dilema que nem o cinema sabe resolver…”
Muitos anos depois, por uma dessas ironias da vida, em 2001, no aniversário do meu amigo Neco, ficamos escutando essa música no repeat, pois presenciamos um fato muito próximo da letra naquela semana quente de outubro, tudo por conta das loucuras de drika dourada. Virou uma piada interna entre nós e volta e meia quando lembrávamos da tal situação desandávamos a cantar e rir. Nessas horas eu vejo como meu melhor amigo faz falta. Não precisava explicar nada, era só cantar um trecho de alguma música e no momento ele já sabia o que eu estava pensando.

… 1989 (há 20 anos)
89 foi um grande ano de mudanças para mim e também essencial na formação de algumas coisas que trago comigo até hoje, mesmo com algumas decepções. Troca de colégio, novos colegas, 8a série, algumas pessoas que continuam na minha vida. Editei o jornal da escola e me senti “tri jornalista” fazendo entrevistas na rádio Ipanema. Meu uniforme era uma jardineira pink com listras brancas com as alças sempre caídas, uma camiseta azul marinho com estampas verde-limão lumi color e mangas rosa choque. Ah, e um all star verde oliva. Pintava olho com delineador azul. Acho que tenho fotos disso na casa da minha mãe. Lembro que matei aula para ver a estréia de Batman do Tim Burton no cine Vitória. Em 89, as coisas mais importantes da minha vida eram os amigos, a música, a literatura e o cinema. Nesse ano, conheci o querido amigo Daniel HDR com quem travava debates infindáveis sobre os X-Men, e o nosso próprio “grenal pop”: U2 X Depeche Mode. O engraçado que até hoje quando a gente se encontra ainda rola esse tópico hahaha (continuamos os mesmos nerds de sempre rs). Também foi o ano em que meu irmão trouxe pra casa um Apple II e eu aprendi a programar umas bobagenzinhas. As tags de 89 foram: acid house, hard rock, ver rattle & hum no cinema, Bizz, Kraftwerk, Guns n´roses, dicionário de inglês, aparelho, trocas de discos, vestido preto, praça da tristeza, filmes de terror, Toy Dolls, Beastie Boys, “apesar de”, escrever cartas, assinar os vinis, camisetas da megaforce, timidez, desencontros, longas caminhadas na Assunção. Tinha tanta música que não consigo destacar apenas uma🙂

…1994 (há 15 anos)
Assim como em 89, 94 também foi um ano em que aconteceram muitas coisas que acabaram interferindo no que viria na seqüência. para o bem ou para o mal foi um ano de mudanças e transições. Um verão inesquecível em Floripa, com um monte de histórias, entre as quais uma noite em que assumi o posto de vocalista de uma banda argentina em um bar cantando baladas poseurs. Depois disso, devido a um fato totalmente aleatório – uma cerveja – acabei conhecendo um monte de pessoas que tiveram sua importância, algumas momentâneas, e outras que acabaram ficando. Ano de paixonite absurda que não deu em nada além de rebound. rs 94 também foi o ano em que entrei na faculdade e conheci uma das minhas melhores amigas até hoje: Paula Puhl. O mais engraçado é que nessa época a gente não se dava muito bem, apenas ficamos amigas mesmo ali por 98, mas essa é outra história. Também foi o ano em que comecei a me interessar mais por informática e tecnologias. Em 94 também conheci a Mi e reencontrei o Tici – que eu conhecia dos tempos da Titânio – e me divertia horrores porque as festas da Famecos eram sempre as mais animadas. Não saía de showzinhos no Opinião e no Garagem Hermética. A música do ano foi “In my dreams with you” com o Vai,.

… 1999 (há 10 anos)
99 foi um ano de transição em que nada de muito diferente aconteceu, continuava com o mesmo namoro desde 96, trabalhava em alguns freelas e curtia meus amigos. A única exceção foi que trabalhei na produção de conteúdo do site do filme Tolerância da Casa de Cinema de Poa e isso rendeu tanto que acabou fazendo com que eu visse que meu foco não deveria ser pesquisar cinema, e sim, cibercultura, de tanto que acabei curtindo as questões relativas ao ciberespaço. Minha vida se dividia entre trabalho, preparação pro mestrado e clubberzices. Em 99, estava com os dois pés nas pistas de dança por ai. Believe da Cher foi um dos grandes hits bate-cabelón que dancei. A foto abaixo – um tanto fora de foco – foi das poucas que salvei dessa época 98/99, na volta de algum club – não lembro😦 qual.. ô velhice



… 2004
(há 5 anos)
Foi um ano mais ou menos como 94, cheio de mudanças, altos e baixos, ano de muita luta. Foi um verão quente e sem férias por conta da tese. Teve dia dos namorados trevoso com uma festa que jamais esqueci. Em 2004 participei pela primeira vez da Compós no GT Cibercultura e fui a vários outros congressos e eventos. Minha última grande comemoração de aniversário foi em 2004, na qual compareceram umas 40 pessoas no extinto Espiral na Cidade Baixa. E tb foi o ano em que ganhei minha bolsa de doutorado-sanduíche e fui morar em Boston, de onde voltei em 2005. Durante esse período aconteceram tantas coisas que eu tinha um blog específico. Tenho tudo em backup, especialmente minhas resenhas de shows do Pixies, Dresden Dolls, Icon of Coil, keane, entre outros, quem sabe eu reedito algum dia. As músicas que mais me lembram aquele ano são Care for you do Wolfsheim (apesar dela ser de 2003) e Somewhere only we know do Keane. As duas têm a ver com as tardes frias de outubro, com o lindo outono de folhas caindo à beira do Charles River….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s