You Tube como Plataforma de Música?

De acordo com matéria do Tech Crunch, na semana passada o You Tube lançou seu sistema de recomendação musical o You Tube Music Discovery Project, possibilitando busca, construção e recomendação de playlists por artistas. A apropriação do You Tube como plataforma de música já vinha sendo feita há um bom tempo pelos usuários, seja através do modelo “jukebox” (onde o usuário não insere o vídeo mas apenas a música com uma foto do artista ou capa do álbum) ou através da audição dos vídeos via streaming ou mesmo no compartilhamento com o Twitter por exemplo. O próprio Blip.fm integrou o o You Tube em suas buscas, o que gerou uma série de problemas, especialmente o declínio da qualidade do áudio.

Ainda não experimentei muito esse sistema, e, de acordo com o YT ele ainda está em fase experimental, mas posso tecer algumas considerações:

* Não há busca nem recomendação por gêneros musicais. Coloquei a tag synthpop e apareceram várias coisas não-relacionadas, mas sim coisas que estariam na tag pop. Contudo é possível criar playlists personalizadas, e dai seria possível a inclusão por gêneros. Mesmo assim, acho que subestimar a questão dos gêneros é problemática no campo da recomendação musical digital, tendo em vista, pelas playlists que eu montei a título de curiosidade, que aparecem muitos artistas relacionados na própria playlist podendo gerar confusões;

*  Há o problema da qualidade do áudio. Portanto se YT quiser mesmo enfrentar a concorrência das plataformas de música, como está parecendo, precisará investir pesado nisso;

* Não há integração para a compra das faixas ou álbuns com outros sistemas;

* Uma vantagem poderá vir a ser as transmissões de shows ao vivo, como foi a do U2 no ano passado que mobilizou os sites de redes sociais a partir dos comentários gerando buzz;

* Há ainda um outro ponto polêmico que é a do compartilhamento dos vídeos em outras plataformas como blogs e outras redes sociais. A questão do embedd que foi bastante discutida na semana passada por conta da briga entre a banda OK Go e a EMI. A banda, que ficou famosa por conta da visualização do vídeo chegou a escrever uma carta aberta aos fãs e ao público em geral, defendendo a possibilidade de compartilhamento que traz  o embedd e disponibilizando seu novo vídeo através do Vimeo e do MySpace por oferecerem essa opção. De acordo com a banda, o embedd está diretamente ligado à capacidade de spreadability da mensagem, ponto central para o caráter viral e a disseminação da informação. Além disso é claro, há o caráter de personalização e da relação afetiva entre fandom e artista que é importantíssimo e que se constrói através do “colecionismo” permitido pelo embedd. Assim, a proibição ou não do cmpartilhamento será decisiva nesse aspecto.

Dadas essas primeiras observações e apontamentos creio que há muito mais por ser discutido e muitos desdobramentos sobre a demonstração do YouTube em investir na questão da recomendação musical, certamente de olho na apropriação que os usuários já faziam. Há também o anúncio de que o site vai locar vídeos demonstrando uma preocupação em atingir por exemplo o Netflix. Vamos aguardar os próximos movimentos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s