Um breve apontamento a respeito da mudança da noção de fã no Facebook

O Facebook acaba de substituir a palavra “fã” por “gostar” (like) nas atualizações de status em relação a páginas/comunidades de marcas/músicos/filmes etc, é o que diz o texto Facebook killing “Become a fan”, embracing “like”, indicado pela Nancy Baym. A discussão do texto acima – para além da questão publicitária e marketeira – mostra as dificuldades de se encarar diferentes níveis de engajamento e comprometimento tanto nas interações quanto na produção do conteúdo. Como disse a @aninhabandeira, comentando essa notícia, o FB levou medo em função do “peso” e de um certo “desconforto” ainda causado pelo termo, preferindo um maior número de conexões do que qualidade (ou profundidade). Por um lado, isso mostra que as noções de fandom e de ser fã ainda carregam um peso simbólico que remonta às primeiras análises – de viés psicológico. Por outro lado, vê-se o quanto a discussão sobre as noções de pertencimento a fandoms se tornaram meramente uma discussão vinculada ao marketing e às lovemarks e a um discurso da indústria que se apropria de uma prática social de forma pervasiva. Tudo isso indica que ainda há muitas críticas e o que discutir sobre essas relações “contaminadas” entre mídias digitais, práticas sociais, culturais, underground e mainstream.

PS: Essa manhã de discussões sobre fandom, fanfic e ficção alternativa via Twitter acabou rendendo vários insights. Quem sabe mais adiante não os compartilho depois.

PS2: Tudo isso porque recentemente participei de mais uma banca sobre a temática da cultura dos fãs, dessa vez na Fabico/UFRGS, a dissertação de mestrado da Stefanie Carlan da Silveira “A cultura da convergência e os fãs de Star Wars:  um estudo sobre o Conselho Jedi RS”

3 comentários

  1. bappi · março 30, 2010

    Olá, Adriana. Tudo bem?Estou trabalhando no projeto Aprendiz Legal, da Fundação Roberto Marinho, e gostaríamos de incluir no nosso material um texto que acredito ser de sua autoria, publicado na revista VIVA SAÚDE, em 2005. O texto é o do box UM POUCO DE HOSPITALIDADE, que segue no link abaixo:http://revistavivasaude.uol.com.br/Edicoes/13/artigo7810-2.aspSe você for realmente a autora desse texto, peço, por gentileza, para que você entre em contato comigo pelo email barbara@animusconsult.com.br para que eu possa lhe passar mais detalhes sobre o projeto.Desculpe-me por passar esse recado pelo blog, mas foi a única forma de contato que encontrei com você.Desculpe-me mais uma vez, se você não for a autora do texto :)Abraços e obrigada.BARBARA PINARDIANIMUS CLEARANCE & ENTERTAINMENT

  2. Adriana Amaral · março 30, 2010

    Barbara – Esse texto não é meu . Não escrevo NADA sobre saúde. Sou Adriana Amaral e não do Amaral

  3. aline naomi · março 31, 2010

    Só uma pergunta: por que todo mundo está migrando do Orkut para o Facebook? Ainda não consigo me acostumar com o FB… pra mim é uma poluição visual dos infernos, e todos os meus contatos me convidando pra brincar de fazendinha (que que é aquilo???) e mandando vários coisos com desenhos e tem as propagandas… nhaaa, um dia vou ver se consigo desativar tudo isso, aí acho que vou conseguir me achar lá.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s