You must unlearn what you have learned

Um pouco atrasada por falta de tempo, posto uma pequena homenagem meio que às avessas através da prosa de Nick Hornby ao #starwarsday, comemorado no dia 04 de maio. À exceção do fato de que não tenho filhos, me identifico muito com essa passagem.

“Há dois anos, Tom vivia assistindo aos seus vídeos de Guerra nas Estrelas, em sequência, e no início eu preferia O Império contra-ataca simplesmente porque esse episódio oferecia um certo descanso no meio do alarido, das explosões e dos sibilos dos outros. Mais tarde, porém, comecei a valorizar a sua … não sei que palavra usar. Mensagem? Moral? Os filmes de Guerras nas Estrelas têm mensagem? Em todo o caso, aquilo começou a ressoar dentro de mim, e eu passei a querer ser Luke Skywalker, sozinho num planeta longínquo, aprendendo a ser um cavaleiro Jedi. Eu queria descansar da guerra. Queria que algum sábio me ensinasse a fazer as coisas que eu precisava saber para sobreviver até o fim da vida. Sei que é patético perceber isto num filme de ficção-científica infantil, e não na obra de George Eliot, Wordsworth ou Virginia Woolf. Mas ai está o cerne da questão, não é? Não tenho tempo nem energia para Virginia Woolf, e por isso sou obrigada a procurar sentido e reconforto nos vídeos de Guerra nas Estrelas do meu filho. Tenho que ser Luke Skywalker porque eu não sei quem mais ser.

Como ser legal, Nick Hornby, 2002.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s