Domingo com música

Na semana passada completei 6 meses morando novamente em Porto Alegre, passou tudo muito rápido. Tirando percalços incontornáveis e que só podem ser resolvidos internamente, as coisas vão indo para os seus lugares e ter voltado para cá fez com que eu retomasse hábitos saudáveis como cafés e debates presenciais com amigos, encontros com a família e desenvolvimento de projetos pessoais a médio e longo prazo. As férias acabaram e é tempo de planejamento. Dentro de alguns dias as aulas já estarão ai de novo junto com aquela roda viva de compromissos como reuniões, bancas, palestras, etc.

Enquanto isso não acontece, vale utilizar esse final de domingo para revisitar músicas que estavam um pouco “empoeiradas” ou melhor, escondidas nos arquivos do computador. Uma delas eu escutava direto em 2004 quando morava em Boston e era um clássico das pistas electrotrevosas. Nem parece que já faz tanto tempo (quase 7 anos) que eu vi esse show do Icon of Coil e que eu respirava o ar gélido e caminhava pelos bairros cinza e vermelho da Nova Inglaterra.

Bom final de domingo a todos

Novo vídeo do Combichrist Throat Full of Glass (Clean Version)

EXTRA! EXTRA! Atenção #electroheads o Combichrist acaba de lançar seu novo vídeo, Throat Full of Glass dirigido por Chad Michael Ward. Com esse vídeo de ótima direção de arte e tendo a tour de suporte ao Rammstein no currículo, IMHO, creio que o Combichrist cruzou a linha do gueto do electroindustrial e se encaminha para uma dieração de atingir público rocker que curte eletrônico, graças à pegada mais pesada fruto dos anos de LaPlegua no hardcore finlandês. Os fãs (como eu) aguardam agora a versão explícita – que deve ser postada dentro de alguns dias no site oficial da banda – já que essa é a versão clean.

Músicas para sábado

A correria por aqui está enorme e ando sem tempo de fazer alguns posts mais elaborados que estão nos meus rascunhos. A mudança e as burocracias têm tirado completamente meu tempo, e olha que supostamente estou de férias hein!  Hoje estou indo a Porto Alegre para tratar de assuntos do novo trabalho, além de ver a família e os amigos. Assim que eu voltar (na próxima quarta-feira) conto as novidades previstas para agosto. Enquanto isso fiquem com uma trilha sonora electro-industrial para o sábado.

Primeiro, uma mais antiga (2006) com vocal feminino – Pzychobitch com Maschinerie

Logo depois, uma mais recente, Shiv-r com The End, clipe que mistura sangue, látex e BDSM rs

The Dose Magazine #03 – Paris

Já comentei há bastante tempo sobre a The Dose Magazine, revista/webzine sobre tecnologia, estilos de vida e  subcultura cyberpunk e electro-industrial sempre centrada em uma cidade, ou seja, “cultura pop alternativa“, como eles se auto-definem no editorial. Agora ela retornou com uma nova edição, a número 3,  cujo dossiê é sobre Paris e o cinema cyberpunk francês. As outras edições, lançadas entre 2006 e 2007,  foram sobre Tóquio e Londres. A dic a foi do kr3st0.blogspot.com. Com essa nova edição que  será vendida por apenas 4 euros, a revista entra em uma outra fase, tendo sido adquirida Wide View Ltd. Vale ler um trecho do que pensam os editores sobre o seu público:

We now live in the future and the future is dense and fast. We’re in the age of procrastination extraordinaire, where our commodities are endless and nothing short of wondrous. Cyberpunk is a nineteen-eighties term and SF authors write their bleak (or for that matter, vivid) visions of the future straight from their RSS feeds. Not that SF was ever about the future, anyway. We’re using the accumulated knowledge of millions and it basically all boils down to one thing: this is the first era when you can really do anything you want. If you can’t do that, you probably don’t know what you want or you don’t persist enough. Which is, you know, all good if you’re comfortable enough with that.

A revista está oferecendo um teaser de leitura que pode ser visualizado abaixo:

E, para fechar uma banda francesa que está na chamada de capa da edição, o Punish Yourself e seu som techno-rock falando de uma estação espacial (“station in the space”), porque #sci-fi e música tem tudo a ver.