Uma semana e tanto

À medida em que o semestre avança, o volume de trabalho aumenta consideravelmente. Mas não vou falar do excesso de coisas por fazer para não soar nem pedante nem workaholic muito menos chata. Nesse domingo, eu gostaria apenas de compartilhar algumas boas notícias que recebi ao longo da semana e que estando ou não diretamente ligadas ao meu trabalho, dão gás para iniciar uma nova semana efetivando projetos e tarefas em andamento.

# 24 SET Universitário – Semestre passado tive uma turma muito bacana da disciplina de Jornalismo Online I na graduação. Ao longo das segundas-feiras do semestre compartilhamos conteúdo, trocamos ideias, debatemos conceitos teóricos e tentamos experimentar algumas práticas de apropriação de plataformas de redes sociais pelo jornalismo digital. Ao final do semestre, cada grupo desenvolveu um projeto tendo como produto  um audiovisual de conteúdo informativo desenvolvido especialmente para consumo na web e que fizesse interface com uma linguagem mais voltada ao entretenimento aplicando os conceitos vistos ao longo do semestre. Poderia ser uma espécie de videolog, mini-documentário, entrevistas, reportagens, etc, desde que se pensasse em uma linguagem que tivesse a dinâmica da web e que atingisse o público-alvo solicitado: jovens estudantes universitários, ou seja, “eles deveriam falar para eles mesmos”.

O segundo ponto é que o produto-piloto deveria estar integrado e disseminado através de outras plataformas, ou seja, o audiovisual não se encerraria nele mesmo, mas sim estaria dentro de um blog/tumblr relacionado ao twitter, facebook, etc. O desafio do trabalho final era esse, alguns grupos se saíram muito bem, outros tentaram, mas utilizamos os próprios erros para tentar entender o que faltou na lógica da rede. A própria discussão/apresentação dos grupos deveria ser twittada no dia da aula e comentada pelos colegas dos outros grupos. Foi uma atividade da qual eu fiquei particularmente feliz, apesar da trabalheira toda e ainda acho que preciso deixá-la mais redonda (o que estou fazendo), pois foi mesmo um processo de aprendizagem, em construção. Ao final do semestre eu conversei com os grupos e indiquei que seria interessante que os trabalhos fossem inscritos em premiações como o 24 SET Universitário da FAMECOS/PUCRS (tradicional evento de premiação de trabalhos feitos em aula aqui na região sul) e o Intercom, por exemplo.

E, eis que na quarta-feira, houve a cerimônia de premiação e a aluna Lorena Risse nos informa que o trabalho Dramas Universitários fora premiado na categoria Audiovisual Experimental (infelizmente não havia a categoria audiovisual para web) do 24 Set Universitário. Fiquei muito feliz pela gurizada (Lorena Risse, André Seewald e Luis Fernando Vieira). Confiram ai o trabalho:

A revista Primeira Impressão, também produzida pelos alunos da Unisinos, levou vários prêmios, todos merecidos sobretudo pela qualidade gráfica/editorial da revista. A lista completa dos premiados está no link.

# Métodos de Pesquisa para Internet chega à 2a edição – Outra notícia bacana que recebi, é que passados apenas sete meses do lançamento, o livro Métodos de Pesquisa para Internet escrito a seis mãos – entre eu, Raquel Recuero e Suely Fragoso – está finalizando sua primeira edição – a tiragem foi de 1.500 exemplares –  e, em breve já teremos o lançamento da segunda edição (revisada e ampliada) pela editora Sulina, de Porto Alegre. Esse livro consumiu mais de 2 anos e meio de trabalho colaborativo em meio a um monte de mudanças na vida das três (mudanças de emprego, de cidade e até o nascimento da Emilia, filha da Raquel). Assim, ficamos muito feliz que esse trabalho com uma temática  dura esteja tendo essa grande acolhida não só na área da comunicação, mas também em outras áreas como lingüística, educação e ciências sociais – indico essas pois são as áreas das quais recebi feedbacks generosos de alguns colegas. No momento, estamos trabalhando na revisão e ampliação de algumas coisas, tentando melhorar essa segunda edição. Obrigada a todos que apostaram nesse trabalho, sobretudo o editor Luis Gomes da Sulina e os colegas Simone de Sá e Alexander Halavais.

#VNV Nation lança o álbum Automatic – E, como não poderia faltar a música aqui nessas boas novas, foi lançado nessa semana a versão digital (a versão em CD só sai em outubro) do álbum Automatic, da dupla germânico-irlandesa de synthpop/futurepop VNV Nation. Esse álbum tem como tema central as tecnologias retrofuturistas dos anos 30 e sua repercussão na sociedade. A vibe dieselpunk pegou forte aqui 😉 Romântico, melódico e nostálgico como sempre, o VNV Nation fez um álbum impecável (achei muito melhor que os dois anteriores) na produção. Há algumas semanas eles já haviam disponibilizado gratuitamente para streaming e download a faixa de trabalho Control:

Faixas do álbum Automatic:

1. On Air

2. Space & Time

3. Resolution

4. Control

5. Goodbye 20th Century

6. Streamline

7. Gratitude

8. Nova

9. Photon

10.Radio

Como vocês podem perceber, tive uma semana e tanto. Um bom domingo a todos e que venha a próxima!

Call for Research Papers – 2012 International Symposium on Online Journalism

Esse simpósio já é bem tradicional na área de jornalismo digital e mistura pesquisa acadêmica com paineis de discussão de enfoque mais mercadológico. A chamada está aberta para o próximo ano:

The International Symposium on Online Journalism at the University of Texas at Austin is now welcoming paper submissions for 2012!

April 20-21, 2012
The University of Texas at Austin
Austin, Texas (United States)

This unique international conference mixes academic research and industry oriented panel discussions, with scholars from universities around the world and journalists representing some of the most important media and news organizations from around the globe.

The International Symposium on Online Journalism welcomes all papers that clearly deal with original research into online journalism. Papers and/or abstracts that are submitted by the deadline below will be blind reviewed by a panel of scholars from leading universities from around the world.

Deadlines for papers or three-page abstracts: December 15, 2011.

Submission requirements: Academic papers should present original research into any aspect on online journalism including, but not limited to, changes in news content and presentation, business models for online journalism, shifting roles of journalists and readers, and the legal and ethical implications of globally accessible journalism.

All submissions should be made electronically to: online.journalism@yahoo.com

Notifications will be sent out in early February 2012.

For more instructions on submission, please visit:

http://online.journalism.utexas.edu/callforpapers.php

Cheers,
Amy Schmitz Weiss
Research Chair
International Symposium on Online Journalism

Curadoria de informação no ciberjornalismo

Quarta e quinta-feira (dias 17 e 18 de agosto) participei do 3o. Seminário de Ciberjornalismo da UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) em Campo Grande. O evento foi organizado pelo Grupo de Pesquisa Ciberjornalismo, coordenado pelo colega Dr. Gerson Martins, que eu conhecia apenas através da internet. As discussões foram muito boas e a organização do evento está de parabéns por levar tantas pessoas ao centro do país para debater questões emergentes e também pela acolhida afetiva na cidade. A cobertura do evento feita pelos alunos de graduação e pós-graduação também foi muito boa.

jornalismo e redes sociais no ciberjor3

Luciana Mielniczuk e Gerson Martins

Na quarta, assisti à mesa Jornalismo e redes sociais que teve ótima apresentação da colega Luciana Mielniczuk (UFRGS) que fez um panorama retrospectivo e crítico sobre a mudança dos formatos dos sistemas de publicação no contexto da convergência das redações, levantando muitas questões sobre a relação forma, rotina produtiva e conteúdo. Nesse dia, também era para ter acontecido a palestra da Raquel Recuero (UCPel), mas infelizmente a TAM (#tamfail) cancelou o vôo dela criando um transtorno considerável, que Raquel relatou em seu blog. De minha parte, tenho evitado e boicotado essa empresa ao máximo, desde que tive sérios problemas de roubo de coisas em minha mala ao voltar dos Estados Unidos em 2009 – quem quiser, procure os arquivos no blog.

Na quinta feira, participei da mesa sobre Jornalismo no ciberespaço, que teve início com a professora Norminanda Montoya da UAB (Universidad Autonoma de Barcelona) que tratou sobretudo dos dados sobre produção audiovisual para e na internet e a questão da qualidade; Fernando Firmino (UFBA/UEPB) que fez uma espécie de arqueologia dos meios móveis no contexto da produção jornalística e discutiu criticamente algumas iniciativas das empresas. A mesa encerrou com a minha participação, que tratei de um tema que vêm cada vez mais me “incomodando”, a questão da curadoria de informações no contexto digital. O termo “curadoria da memória” tem aparecido constantemente na literatura sobre fãs e suas práticas de consumo e produção de conteúdo, tema central na pesquisa que tenho desenvolvido, mas aqui a desdobrei para outras concepções.

Apesar da palavrinha andar bastante hype e estar na boca de marketeiros e “gurus da mídia” – teci uma crítica a esses usos do termo – traz questões relevantes para pensarmos sobre a qualidade do conteúdo e sobre o contexto das informações publicadas cotidianamente. Além disso, a relação entre agentes humanos e não-humanos nos sistemas de recomendação (que é parte da minha pesquisa sobre plataformas de música) também apareceu nessa discussão do  editor-curador e numa expansão à idéia de gatewatching (do Axel Bruns). Por uma dessas coincidências, justamente na quinta-feira, o Observatório de Imprensa publicou um texto de Carlos Castilho chamado “De porteiros a curadores da notícia” tratando da temática. Assim, a própria produção dessa apresentação já foi uma espécie de curadoria da curadoria, reunindo e agregando links, imagens, textos e recomendações hehe.

Segue a minha apresentação:

Breves anotações sobre o II Encontro Regional de Jornalismo Digital

Sérgio Lüdtke (@ludtke), Gabriela Zago (@gabizago), Marcelo Träsel (@trasel) e mediação de Ronaldo Henn (@ronaldohenn)na Mesa 1

Um dos motivos principais do meu sumiço aqui do blog foi o envolvimento como organizadora do II Encontro Regional de Jornalismo Digital que aconteceu ontem na Unisinos POA. Gostaria de começar esse post agradecendo a todos os envolvidos da Unisinos (coordenação, Unidade de Graduação, Depto. de Eventos, equipe da TV Unisinos, colegas e alunos) para a realização segundo desse encontro. Também agradeço aos painelistas e aos colegas das outras instituições com quem temos travado importantes debates que qualificam a área. Gravamos diversas imagens do evento em vídeo e pretendemos editar esse material e disponibilizá-lo em breve. Também é possível resgatar algumas imagens através do streaming.

Vou  tentar fazer um breve apanhado sobre as principais questões discutidas em cada uma das mesas.

#Mesa 1Relações entre jornalistas e seus públicos nas redes sociais com Sérgio Lüdtke (Época Online), Gabriela Zago (UFRGS) e Marcelo Träsel (PUCRS).  A discussão centrou-se basicamente nas práticas de uso de redes sociais pelos jornalistas como busca de fontes, pauta, SAC e outras funções, além dos conflitos gerados pela troca de mensagens entre usuários e jornalistas. Também foi apontada a questão dos erros indicados pelos comentaristas, a questão ética de posicionamento e os manuais de cada empresa, além da questão da trollagem e dos anti-fãs dos próprios veículos. Lüdtke enfatizou as práticas vigentes no mercado, em especial a ideia de que cada jornalista/repórter é responsável por seu próprio conteúdo em vez da opcão de modelo de moderação de comentários por um outro funcionário por exemplo; Gabriela exemplificou as trollagens com a imprensa a partir de alguns casos acontecidos no Twitter, como por exemplo a morte do sen. Romeu Tuma informada erroneamente pela Folha de SP; ou uma retuitagem falsa sobre um boato da morte do cantor Dinho Ouro Preto e a reação dos internautas a isso, entre outros casos. “Não alimentar os trolls” é uma regra antiga mas que ainda pode ter sua validade em tempos de SRS. Já Träsel falou de sua experiência na relação com a audiência a partir de um recorrido histórico dos veículos e produtos no qual atuou. As diferenças entre formatos e plataformas foi salientada na mudança de comportamento dos jornalistas.

De olho nas telas dos celulares, notes e tablets mas concentrados nos debates

#Mesa 2 – Visualização de Informações, produção de conteúdo visual e tablets . A tônica da mesa foi sobre os aspectos relativos ao conteúdo visual dos produtos editoriais jornalísticos na web. Marcos Borges (Clic RBS) mostrou diversos exemplos de infográficos interativos produzidos pelo Clic RBS e pela Zero Hora comentando sobre as questões de produção, tempo, prazos, dificuldades e decisões sobre o tipo de informação que pode merecer um trabalho visual mais profundo. André Pase (PUCRS) falou sobre decisões editoriais a serem tomadas para a produção de conteúdo para o iPad, trazendo exemplos e mostrando as diferenças da experiência de leitura em notebooks e tablets em geral. Já Suely Fragoso (UFRGS) apresentou algumas categorias de newsgames e infográficos e questionou os tipos de informação visual produzidos pelos mesmos, sobretudo as distinções entre o que seria jornalismo e o que seria jogo e a objetividade da informação X abertura de diferentes significados e interpretações.

Jornalistas X Programadores

#Mesa 3 – Jornalistas X Programadores. Na última mesa, motivada pelo debate no primeiro encontro, a discussão foi basicamente sobre perfis profissionais, atribuições e sobre as equipes multidisciplinares que têm surgido no trabalho com o jornalismo digital. Aline de Campos (SENAC-RS) salientou diferenças e semelhanças entre esses dois tipos de profissionais, defendendo que é preciso encontrar denominadores, mas jornalistas não precisam saber programação. Erick Formaggio (Cadastra) reforçou a questão do conteúdo e de como os jornalistas podem colaborar para a otimização do site (SEO). Daniel Bittencourt (Unisinos) reforçou a opinião de que o jornalista deve atuar mais holisticamente em conjunto com o conhecimento coletivo da rede, fazendo leitura de cenários, mas não deve programar, e sim compreender a complexidade dos processos de produção atuais.

Abaixo as apresentações da Gabriela, da Aline e do Daniel.

Os debates foram bem movimentados, principalmente pela participação ativa do público. Destaco também o espaço de troca de ideias entre os colegas do meio acadêmico e os profissionais do mercado, com muitos questionamentos, críticas e observações de ambos os lados. É muito bacana esse tipo de troca. Por fim queria destacar a participação dos alunos e ex-alunos da graduação e do PPG. Que venham os próximos!

II Encontro Regional de Jornalismo Digital – Perspectivas e Tendências

Conforme eu havia comentado anteriormente, a UNISINOS sediará o II Encontro Regional de Jornalismo Digital – Perspectivas e Tendências. Esse segundo encontro tem como objetivo dar continuidade ao debate de temas emergentes no jornalismo digital no estado do Rio Grande do Sul – que teve início no I Encontro realizado em abril – como o papel do público e dos jornalistas nas redes sociais, a questão dos programadores X jornalistas e visualização de dados, entre professores, pesquisadores e profissionais da área. Para tanto serão três mesas que contam com participação de professores de várias instituições do Estado e profissionais de jornalismo digital de veículos como Epoca.com, ZH, entre outros.

As inscrições já estão abertas através do site:

http://www.unisinos.br/extensao/evento/105218/6526/0605/apresentacao

Carga Horária

8 horas

Período

13/08/2011

Local

Auditório da Escola de Design Unisinos Porto Alegre ( Sala Santander)

Período

13/08/2011 a 13/08/2011

Local

Local: Auditório da Escola de Design Unisinos Porto Alegre ( Sala Santander)

PROGRAMAÇÃO

9h – Abertura
9h30 – Mesa 1 – Relação entre Jornalistas e os Públicos nos Sites de Redes Sociais (#trollando a imprensa)
Sérgio Lüdtke – Jornalista, Editor da Revista Época Online
Gabriela Zago – Doutoranda UFRGS
Marcelo Träsel – Doutorando PUCRS
Mediação: Ronaldo Henn – PPG Unisinos

12h – Intervalo

14h – Mesa 2 – Visualização de Informações, produção de conteúdo visual e tablets

Marcos Borges – Diretor de Arte de Zero Hora.Com
Suely Fragoso – PPGCOM e PGD UFRGS
André Pase – PUCRS
Mediação: Gustavo Fischer – PPG Unisinos

__________________________________________
Coffee Break
__________________________________________
16h Mesa 3 – Jornalistas X Programadores
16h Mesa 3 – Jornalistas X Programadores
Erick Formaggio – Consultor em SEM, SEO e Gestão Digital
Aline de Campos – SENAC/RS
Daniel Bittencourt – Coord. Comunicação Digital Unisinos
Mediação: Marlise Brenol – Unisinos/ZH

Investimento
Alunos R$ 20,00
Profissionais R$ 40,00

Coordenação Geral: Adriana Amaral – PPG Unisinos

ATUALIZAÇÃO:

O Facebook do II Encontro Regional de Jornalismo Digital já está aberto para os comentários. Entra lá!

3o Seminário de Ciberjornalismo da UFMS

Durante os dias 16 a 18 de agosto acontecerá na UFMS (Universidade Federal do Mato Grosso do Sul) em Campo Grande, o 3o. Seminário de Ciberjornalismo, cujo tema será “O jornalismo em tempos de redes sociais“. A programação conta com diversos pesquisadores nacionais como as colegas e conterrâneas Luciana Mielniczuk (UFRGS) e Raquel Recuero (UCPEL) e o colega Fernando Firmino (UFBA/UEPB). Já os internacionais serão os espanhóis Angel Rodriguea Bravo e  Norminanda Montoya, ambos professores e pesquisadores da Universidade Autónoma de Barcelona. Participo de uma mesa no dia 17 de agosto sobre jornalismo e ciberespaço e pretendo centrar minha fala nas práticas de curadoria de profissionais e amadores no jornalismo cultural nos sites de redes sociais. Acredito que será um evento bastante instigante e que já entrou para agenda dos eventos da área. O seminário é organizado pelo Grupo de Pesquisa Ciberjor sob a coordenação do professor e pesquisador Dr. Gerson Luiz Martins. Para quem estiver interessado o envio de trabalhos para apresentação está aberto até o dia 31/07. Mais informações no Call for Papers do evento.


Palestra: “Jornalismo em redes sociais: para além das fronteiras dos jornais”

Hoje, a partir das 20h no Mini-auditório da biblioteca da Unisinos, em São Leopoldo acontece uma atividade organizada por mim dentro da disciplina de Jornalismo Online I, turma de segundas-feiras. É a palestra Jornalismo em redes sociais: para além das fronteiras dos jornais, que será proferida pela  Gabriela Zago.

Tema da palestra: Sites de redes sociais como Twitter, Orkut e Facebook são cada vez mais utilizados no Brasil. Cada vez mais os jornais buscam estabelecer presença nesses espaços, experimentando linguagens e formatos, produzindo novos conteúdos, pedindo colaborações ou ainda buscando atrair o público das redes sociais para o site do jornal. Pretende-se discutir as estratégias dos veículos em sites de redes sociais, em especial com relação aos modos pelos quais os conteúdos jornalísticos
circulam e recirculam no Twitter.

Sobre a palestrante:
Gabriela Zago é jornalista pela UCPel e graduada em Direito pela UFPEL. Foi Trainee da Editora Abril em 2011. É Doutoranda e Mestre em Comunicação e Informação pela UFRGS,  desenvolve pesquisas nas áreas de jornalismo e redes sociais. Seu TCC sobre Twitter e Jornalismo foi premiado pela SBPJor como melhor pesquisa de graduação em 2009.